sábado, 14 de julho de 2012

Os impactos ambientais gerados pela agricultura

Para que possamos buscar solução aos problemas do mundo moderno, precisamos conhecer ao menos os maiores impactos causados pela atividade de maior impacto no meio-ambiente: a agricultura.

Alguns dos principais impactos da agricultura:



1. Desflorestação, desflorestamento ou desmatamento

É o processo de desaparecimento de massas florestais, fundamentalmente causada pela atividade humana. A desflorestação é diretamente causada pela ação do homem sobre a natureza, principalmente devido à destruição de florestas para a obtenção de solo para cultivos agrícolas ou para extração de madeira, por parte da indústria madeireira.
Uma consequência da desflorestação é o desaparecimento de absorventes de dióxido de carbono, reduzindo-se a capacidade do meio ambiente em absorver as enormes quantidades deste causador do efeito estufa, e agravando o problema do aquecimento global.
Para tentar conter o avanço do aquecimento global diversos organismos internacionais propõem o reflorestamento, porém essa medida é apenas parcialmente aceita pelos ecologistas, pois estes acreditam que a recuperação da área desmatada não pode apenas levar em conta apenas à eliminação do gás carbônico, mas também a biodiversidade de toda a região.



2. Erosão
A erosão é um processo de deslocamento de terra ou de rochas de uma superfície. A erosão pode ocorrer por ação de fenômenos da natureza ou do ser humano. Essa perda está retirando todas as camadas superiores do solo, chegando até as rochas, tornando o solo
não-agricultável. Além disso, a terra que escorre com as chuvas, soterra rios e lagos, comprometendo sua vazão e qualidade da água. Provocando o assoreamento , ao retirar a cobertura vegetal de um solo, este perde sua consistência, pois a água, que antes era absorvida pelas raízes das árvores e plantas, passa a infiltrar no solo, que por sua vez provoca enchentes e desmoronamentos dos morros.
Dependendo da cultura a ser praticada, faz-se necessárias algumas medidas de precaução para que se controle o efeito erosivo do solo.
Por exemplo, em uma cultura de cana-de-açúcar os danos podem ser minimizados preparando o solo e realizando o plantio em linhas de nível. Porém, como cada cultura requer um tratamento específico, utiliza-se também o plantio de faixas de cultura com alguns níveis de vegetação densa ou nativa intercaladas, sendo de grande eficiência contra enxurradas e erosão.
Outra opção, já bastante difundida principalmente para que os nutrientes do solo se recomponham, é a rotação de culturas. Propicia uma maior cobertura, melhora as condições físicas do solo, reduz a erosão e enxurrada desde que esta área em descanso esteja recoberta por uma vegetação rasteira para que a água da chuva não impacte o solo desnudo




3. Poluição de águas e seu Esgotamento  
Muito se enganam, os que pensam que o consumo doméstico gera os maiores gastos de água. Pois, aproximadamente 70% da água doce é utilizada na irrigação de campos agrícolas portanto a irrigação para cultivos agrícolas atualmente responde por mais de dois terços de toda a água retirada de lagos, rios e reservatórios subterrâneos, segundo a FAO-ONU.  Nas lavouras são utilizados métodos de irrigação pouco eficientes que desperdiçam muita água. Os agrotóxicos utilizados na agricultura são compostos químicos venenosos, cujos resíduos podem provocar várias doenças. Alguns não se degradam cotaminando por muito tempo, a água, o subsolo e o ar. O  uso descontrolado de adubos e defensivos agrícolas vem causando sérios problemas de contaminação de águas por resíduos, que podem causar problemas inclusive com a eutrofização (fenômeno causado pelo excesso de nutrientes  numa massa de água, provocando um aumento excessivo de algas).e contaminação de águas potáveis.

Desertificação em Alegrete/RS
4.DESERTIFICAÇÃO OU DESERTIZAÇÃO?

O debate gira em torno da denominação do termo:
a)Desertificação é um fenômeno em que um determinado solo é transformado em deserto, através da ação humana ou processo natural. No processo de desertificação a vegetação se reduz ou acaba totalmente, através do desmatamento. Neste processo, o solo perde suas propriedades, tornando-se infértil (perda da capacidade produtiva). Apesar de reconhecer a existência de ambientes considerados instáveis (em processo de desequilíbrio ambiental) devido a técnicas inadequadas de cultivos. O Ministério do Meio Ambiente leva em consideração quatro fatores para identificar que uma região está em processo de desertificação. São as mudanças climáticas, desmatamento, erosão e perda da produtividade agrícola. Baseado nos dados levantados, o governo federal está elaborando, junto aos estados, programas de combate a desertificação e a seca no nordeste do país.

b) A desertização é um fenômeno natural, independe da ação antrópica (do homem), consiste na transformação da região em deserto através de acontecimentos naturais de grande magnitude. O uso inadequado do solo, hoje liderado pela produção de gado e outros animais, vem desgastando os solos de forma espantosa, tornando-os quase totalmente inférteis. Isso vem fazendo com que quase nenhuma planta consiga sobreviver em muitas dessas áreas, tornando-as desertas. Esse processo, infelizmente, é irreversível.

5.  Queimadas

Queimada é uma prática primitiva da agricultura, destinada principalmente à limpeza do terreno para o cultivo de plantações ou formação de pastos, com uso do fogo de forma controlada.O efeito mais notório da queimada é a destruição do ambiente.
Mas se é prejudicial ao meio ambiente, por que elas acabam acontecendo?
Há alguns fatores para a existência de queimadas. A princípio, o pequeno agricultor queima para resolver dois problemas: acabar com pragas e doenças e preparar o solo para pastagem ou plantio.
 lém de diminuir os processos de oxidação e transformação dos nutrientes normais, pela diminuição da vida microbiana, o fogo destrói também sementes, plantas jovens, raízes, eliminando vegetais que comumente não terão possibilidade de sobrevivência na área, a não ser por reintrodução posterior, através do homem, animais ou agentes físicos.
A prática da queimada promove grandes problemas ambientais e para a saúde humana, assim deriva-se o aquecimento global isso ocorre com a emissão de dióxido de carbono e monóxido de carbono na atmosfera agravando o efeito estufa e conseqüentemente o aquecimento do planeta. A
No caso específico do Brasil, as queimadas tem sido responsáveis pela diminuição de importantes domínios brasileiros, principalmente a floresta Amazônica e o Cerrado, duas áreas intensamente exploradas pela agropecuária

6. Destruição de mananciais Que se da através do avanço da agricultura sobre matas nativas e destruição de nascentes. Causando a chamada “Crise da água”. “Não é apenas uma carência quantitativa, mas também qualitativa. A destruição dos mananciais, devido, principalmente, à devastação das matas ciliares, a contaminação dos mananciais por agroquímicos, resíduos industriais, metais pesados dos garimpos, esgotos urbanos e hospitalares, além do aumento do consumo na agricultura (irrigação), pecuária, indústria e consumo humano, projetam uma imagem de ‘escasseamento progressivo’ das águas”.

Diante dessa crise, têm sido avançadas muitas propostas de solução, que podem ser resumidas em duas, opostas entre si: a água como negócio ou a água como vida. A primeira vê na água uma mercadoria como muitas outras, um valor econômico que pode ser comprado e vendido. Sendo que agora está surgindo o problema da escassez da água, pode-se aproveitar para geri-la conforme as leis do mercado, transformando-a em objeto de lucro.

Exemplo: Isso está acontecendo em todos os níveis, do proprietário de um terreno onde há uma nascente, que cobra o uso da água dos vizinhos, à multinacional que privatiza a água de um lugar para lançá-la no mercado. Como a Nestlé, proprietária de 68 companhias de água engarrafada, que tira água do lago Michigan, nos Estados Unidos, com um lucro de cerca de 1,8 milhões de dólares por dia. 65% dessa água deixa a região, para ser vendida em outros lugares.
Portanto : Um olhar rápido sobre o uso das águas no Brasil pode mostrar como ele é inadequado e dar uma explicação global da subtração da água a uma parte considerável da população: a irrigação consome 63% e a indústria, 5%, enquanto o consumo humano é de 18% e o animal, de 14%. Um detalhe sobre a agricultura leva a reflexões preocupantes: para produzir uma tonelada de grãos, são necessárias mil toneladas de água!

7. Geração de resíduos nas áreas agrícolas
Os países do primeiro mundo e muitos especialistas criticam o que eles chamam de biocombustíveis de primeira geração, porque esses competiriam por terras com a produção de alimentos. Isso é verdade. Há um limite de terras disponíveis. Contudo, também é verdade que ainda há terra agrícola que pode ser usada para a produção de biocombustíveis em diversos países do mundo, incluindo Brasil e alguns países africanos. Leia  Texto acima retirado desde site que defende o uso da bioenergia: http://blogdaterra.com.br/2009/02/04/bioenergia-de-residuos-da-agricultura-um-paradigma-para-os-tempos-atuais/

Porém o que observei nesta pesquisa é que segundo especialistas , a produção animal é uma das maiores causas da geração de resíduos, principalmente devido às fezes animais geradas em animais criados em confinamento. As fezes dos porcos (chamadas de chorume de porco), as fezes de frango (chamadas de cama de frango), entre outras, estão dentre as principais poluidoras de ambientes rurais.

         Há os que exercem neste tema a seguinte defesa:        


Resíduos Agropecuários
"Questões ambientais têm alavancado o interesse por fontes renováveis e os
resíduos agroindustriais tornaram-se uma fonte importante para a produção de novos
materiais, de produtos químicos e de energia. O desenvolvimento e implementação de
processos sustentáveis capazes de converter biomassa em vários produtos com valor
agregado é uma necessidade absoluta para aproveitar resíduos agroindustriais e gerar
menor impacto ambiental. Um sistema análogo ao das refinarias de petróleo, chamado
biorrefinaria, utilizando a biomassa como insumo para produzir vários produtos vem sendo
proposto. Este artigo discute conceitos importantes relacionados com a agregação de valor
aos resíduos da agroindústria e ressalta que o desenvolvimento de novos usos para esses
resíduos é essencial para otimizar a eficiência do agronegócio e reduzir o impacto
ambiental."           Texto retirado do II Simpósio Internacional sobre Gerenciamento de
                                                                   




17 comentários:

  1. muito legal o blog .
    interessante.

    ResponderExcluir
  2. gostei muito desse saite acabou com as minhas duvidas... :)

    ResponderExcluir
  3. me ajudo no meu trabalh de geografia da prof Liane do Colegio Boas Novas em Nilopolis

    ResponderExcluir
  4. d" hora massa pra caramba o blog,parabéns

    ResponderExcluir
  5. Precisava fazer um trabalho da faculdade e acabei achando justo o que precisava. Bem completo o conteúdo. Adorei o blog! Ah, por favor, não pare de postar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kelly

      Muito obrigada querida, não se preocupe não deixarei de postar, apenas dou uma pausa nos meses que não temos vestibular, mas já estarei na ativa já, já!

      Beijos

      Excluir
  6. Respostas
    1. Oi Samuel

      Muitissímo obrigada querido, seja muito bem vindo ao Blog

      Forte abraço

      Jackie

      Excluir
  7. me ajudou muito com minhas duvidas

    ResponderExcluir
  8. Mto bom este site tira mtas dividas


    ResponderExcluir
  9. Lindo e Ótimo Blog, muito obrigado mesmo, só não pare de postar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, não paro não, rsrsrsr, esta época do ano posto menos para pegar um período de férias! Forte abraço

      Excluir
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir