terça-feira, 10 de março de 2015

Saiba mais sobre: TIPOS DE CICLONES

Basicamente temos três tipos de ciclones:

EXTRATROPICAIS: mais comum na nossa costa associado a uma frente fria, sistema de chuva. Se desloca de acordo com o movimento da frente. Normalmente da região Sul para a região Sudeste. Ao longo do ano passam vários, mas só alguns são chamam atenção de maneira geral por passarem mais próximos da costa. Na sua estrutura em todos os níveis da atmosfera ele tem temperatura baixa, é frio.
TROPICAIS: são sistemas únicos que se alimentam da troca de energia entre mar e atmosfera. Se deslocam para regiões com águas mais quentes que é o seu combustível. Dão origem aos furacões. Em toda as sua estrutura, todos os níveis da atmosfera, tem temperatura alta, é quente.
SUBTROPICAIS: é um sistema híbrido, ou seja, um ciclone que tem algumas características do extratropical e do tropical. Na sua estrutura ele tem temperatura mais elevada na sua base e é frio na parte superior da atmosfera. Também é um sistema único que depende da troca de energia entre mar e atmosfera.
PODE MUDAR DE CATEGORIA?
Qualquer tipo de ciclone necessita de acompanhamento porque entre os estágios de formação, maturação e dissipação pode mudar de categoria.
NOME DE CICLONE
Os tropicais e subtropicais por serem sistemas únicos e mais raros/menos frequentes chegam a ter uma lista de nomes ao longo do ano. Cada um que vai ocorrendo, recebe um nome dessa lista em ordem alfabética elaborada pela Marinha do Brasil.
Para terem ideia de tropical na nossa região só o Catarina. Primeiro furacão do Atlântico Sul:
catarina1
Furacão Catarina

Em relação aos ciclones subtropicais podemos dizer que nos últimos anos eles tem aparecido um pouco mais. Nos últimos 5 anos tivemos:
Anita – Março de 2010 Ps: Há controvérsias, tem estudiosos que o classificaram como tropical
Arani – Março de 2011
Bapo – Fevereiro de 2015
Cari – Março de 2015 (Esse ciclone de agora que ainda não foi batizado)

MARÇO É O MÊS DE CICLONES SUBTROPICAIS OU TROPICAIS?
Essa é uma possibilidade, principalmente diante dos últimos eventos de 2010 pra cá. O que ocorre é que como comentei, subtropical e tropical, se alimentam da troca de calor entre mar e atmosfera. No oceano, o processo de aquecimento das águas é lento, ou seja, as altas temperaturas de dezembro, janeiro e fevereiro normalmente trazem aquecimento do oceano lá por março. De maneira geral, ao longo dos anos, esse é um mês com águas mais quentes do verão. O que também ocorre é que março começa a ocorre um certo resfriamento da atmosfera, normalmente as noites mais mais frias, já preparando o outono. Esse contraste de água e ar pode ajudar a ter mais ciclones subtropicais ou até tropicais.
Acredito que ainda é cedo para afirmar, mas já temos bons indícios que março seja um período propício.
Bookmark and Share



Fonte: http://wp.clicrbs.com.br/blogdopuchalski/?topo=67,2,18,,,67

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir